quinta-feira, 6 de outubro de 2011

"As bicicletas nunca têm prioridade!"

"Sai da estrada, ó palhaço!"
"Bicicletas é no passeio!"
Quem anda de bicla no dia a dia, mais cedo ou mais tarde acaba por ouvir este tipo de bocas, umas vezes de provocadores, outras (e aqui é que se torna preocupante) de pessoas bem intencionadas mas mal informadas.

Também não é de todo infrequente encontrar na estrada pessoas que, achando que sabem o código da estrada, tentam a todo o custo que os outros percebam (nem que seja à força) o quão errados estão. Eu chamo-lhes os condutores moralistas..

O que me leva a falar sobre este assunto é que, o "condutor tipo português" é uma pessoa bastante esquecida. Estuda o código da estrada para fazer o exame, e, tirando algumas regras básicas do dia a dia, logo esquece quase tudo.

Proponho-me a começar a rebater algumas das ideias erradas que mais frequentemente se encontram na cabeça dos desinformados condutores moralistas:
"As bicicletas nunca têm prioridade!"
- Errado. Os velocípedes apenas perdem a prioridade nos casos de cruzamentos sem sinalização específica.
Em todos os outros casos onde exista sinalização (STOP, semáforos, etc etc) os veículos motorizados têm de ceder passagem ao ciclista caso seja esse o caso.
Também nas rotundas, e caso o ciclista vá a circular na rotunda, o velocípede tem prioridade sobre o veículo automóvel que pretenda entrar na mesma.

Dito isto resta acrescentar que mesmo nas situações em que o veículo automóvel tenha prioridade, ele deve respeitar o artigo 29º:
Artigo 29 «o condutor com prioridade de passagem deve observar as cautelas necessárias à
segurança do trânsito (infracção dá multa entre € 120 e € 600)
Traduzindo: atropelar ciclistas continua a ser ilegal apesar de termos o direito de passagem.

Enquanto não temos uma revisão do código da estrada digna de país do primeiro mundo, vamos tentar não distorcer ainda mais as regras que nos vão colocando no fundo da 'cadeia da mobilidade' para gerarmos mais harmonia nas estradas portuguesas :)

6 comentários:

storrao disse...

passando o cliché "fazia falta um artigo assim"!


fazia mesmo!!! e está muito bem :)))

Sérgio Moura disse...

Obrigado Sofia, vão aparecer mais uns do género :)

paulofski disse...

Nem a propósito! Ainda há dias passei por uma dessas e estava a pensar passar a cena para o papel... isto é para o blogue.

Ana Brütt disse...

Identifico-me TANTO com este post. A sinalização vertical supera o direito de prioridade, e claro, a prioridade não é um direito absoluto!

Às vezes não consigo controlar-me e mostro-lhes o dedinho do meio... muitos merecem!

No outro dia atravessei a ponte de Leça, onde na zona pedonal está proibido o trânsito a velocípedes (apesar de ser mais sensato ir por aí do que pela estrada, estreita e com automobilistas pouco civilizados).

Sérgio Moura disse...

Paulo: tens de também passar para o "papel", nunca é demais!
Ana: às vezes dá mesmo vontade.. mas é preciso cuidado com alguns tolos :\

Daniela Saraiva disse...

Adorei o artigo! Vou partilhar :)
@Ana, isso na ponte de Leça passo eu quase temos os dias...