terça-feira, 3 de julho de 2012

O Ramal da Alfandega


O Ramal da Aldandega construído em 1880 foi durante décadas uma união muito importante entre a estação de Campanha e a Alfandega do Porto.
Com a inauguração do Porto de Leixões, a Alfandega do Porto perdeu peso e pertinencia e foi aos poucos reduzindo a sua circulação até ser fechada em 1989.
Ironicamente o edifício da Alfandega foi transformado entretanto em Museu dos Transportes.

Foi com grande agrado que li aqui (e também aqui) sobre a ideia de transformar este percurso abandonado numa ciclovia. Não sou grande apologista de ciclovias completamente segregadas do restante transito, mas esta parece-me uma oportunidade fabulosa de unir dois pontos da cidade que não oferecem grandes condições de 'ciclabilidade' (mau piso e declives menos agradáveis) a uma cota intermédia e interessante... já para não falar do elevado potencial turístico que a vista permite...

Isto é algo de novo?

Nem por isso... as sociedades mais desenvolvidas já tiraram partido (bom, nós em boa parte do país temos feito muitas Ecovias a aproveitar as antigas linhas de comboio) deste tipo de situações, senão vejamos:

San Sebastian:


Helsínquia:



Porto:



nota 1: obrigado Hugo por me teres mostrado as maravilhas da simulação 3D feita em Paint.

nota 2: já andaram a grafitar o raio da Ponte do Infante.

1 comentário:

Unknown disse...

Penso que a Ciclovia deveria ligar o Funicular dos Guindais à Quinta da Bonjóia.
No funicular é permitido tranportar bicicletas.
A Auinta da Bonjóia, em Campanhã, é um extraordinário espaço público muito mal conhecido pelos portuenses.

Vítor Rodrigues